Batimento Cardíaco

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Habituada a ti... mas nunca me vou habituar a isto Anabela...

Estou tão cheia de ti mana... tão cheia que vou explodir a qualquer momento. E não te quero deixar sair, quero-te aqui dentro a fazer-me estar neste estado. Porque se saíres, nem que seja um bocadinho pequenino vou perder-te. 
O que me fizes-te Anabela? Porque é que te foste embora assim? Não tinhas esse direito, não tinhas!
Como vou viver a minha vida sem ti? A quem vou ligar quando precisar de avisar que vou chegar mais tarde? Com quem vou almoçar? A quem vou dizer adeus na estrada quando os nossos caminhos se separavam? Quem me vai esticar o braço pela janela num até já enquanto eu via no retrovisor? Quem vai buscar o Lourenço comigo só para o trazer ao colo até ao carro? Quem vai lanchar connosco? Quem vai vai ter um ataque de riso comigo com as coisas mais idiotas que podiam acontecer? Quem me vai aparecer em casa tarde e me vai ajudar a deitar o Lourenço? Quem me vai azucrinar a cabeça com coisas que afinal são tão miudinhas e de gente tão miudinha que nem devemos passar tempo algum a pensar nisso?
Onde é que estás Anabela? E as coisas que combinamos? Porque teimas em ser descombinada e fazer tudo à tua maneira?

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]



<< Página inicial