Batimento Cardíaco

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Eragon#

''Na noite após o regresso de Carvahall, Eragon decidiu testar a pedra como Merlock tinha feito. Sozinho no seu quarto, pousou-a na sua cama e colocou três ferramentas
ao lado dela. Começou com um macete de madeira e bateu levemente na pedra. O contacto produziu um som subtil. Satisfeito, pegou na ferramenta seguinte, um pesado martelo de couro. Ouviu-se um repique pesaroso quando tocou na pedra. Por fim, bateu-lhe com um cinzel. O metal não lascou nem arranhou a pedra, mas produziu um som espantosamente nítido. Depois de produzir o seu último som, pareceu-lhe ouvir um leve guincho. (...) Conformado com a impossibilidade de resolver o mistério, pegou nas ferramentas e devolveu a pedra à sua prateleira. (...) De repente, apareceu uma racha na pedra. E depois outra, e outra. Paralisado, Eragon inclinou-se para a frente, ainda com a faca na mão. No cimo da pedra, onde as rachas se encontravam, uma peça pequena mexia-se como se estivesse a balançar-se em qualquer coisa. Depois, elevou-se e caiu no chão. Após uma nova série de guinchos, uma pequena cabeça negra espreitou do buraco, seguida dum corpo estranhamente angular. Eragon apertou a faca com mais força e segorou-a com firmesa. Em breve, a criatura saiu completamente da pedra. Manteve-se quieta por um momento, e depois deslocou-se para o luar.
Eragon encolheu-se, em choque. Em frente a ele, retirando às lambidelas a membrana que o envolvia, estava um dragão.''

Etiquetas:

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]



<< Página inicial